Amor e Amar, qual a diferença?

As palavras estão relacionadas, mas tem significados bem diferentes.

Gramaticalmente falando:

  • AMOR é um substantivo que identifica o sentimento;
  • AMAR é um verbo que identifica a ação de fazer o Bem. Todo verbo requer ação.

Para falarmos de AMOR e de AMAR, há mais duas palavras que também devemos levar em consideração: GRATIDÃO e COMPAIXÃO.

A COMPAIXÃO e a MISERICÓRDIA são palavras que tem o mesmo significado, mas a MISERICÓRDIA é um sentimento mais profundo.

O que nos leva a sentir AMOR por alguém é a nossa GRATIDÃO pelo bem que recebemos, portanto, o sentimento de AMOR que sentimos representa a nossa GRATIDÃO, ou seja, tem origem no sentimento de GRATIDÃO que se tem, ou que se sente, pelo bem que se recebe.

O que nos condiciona a para termos GRATIDÃO é o nosso senso de justiça.

O que nos leva a AMAR alguém é a nossa capacidade de sentirmos COMPAIXÃO ou é a nossa consciência que nos motiva a termos MISERICÓRDIA; e o nosso sentimento de GRATIDÃO pelo bem recebido, no propósito de retribuir o bem recebido.

A COMPAIXÃO se caracteriza na capacidade que se tem de se colocar na condição da outra pessoa ou no esforço que se faz para se colocar na condição da outra pessoa, buscando sentir o mesmo que a outra pessoa está sentindo.

A MISERICÓRDIA é a mesma coisa, porém de uma forma natural, sem que haja um esforço pessoal para compreender a condição da outra pessoa. A MISERICÓRDIA nasce no coração de quem exercita a COMPAIXÃO ou de quem tem naturalmente a compreensão da situação em que o outro está vivendo.

Mesmo o sentimento de AMOR que nasce entre um homem e uma mulher está fundamentado neste raciocínio. Quando uma pessoa se sente atraída por outra pessoa e quer se unir a ela numa união de AMOR, o que mais se procura é um jeito de AMAR aquela pessoa, se possível, até adivinhar os pensamentos da outra pessoa, para que se possa tomar atitudes em relação a ela que a leve a se sentir bem e feliz, e quando se consegue isto, desperta-se o sentimento de AMOR na outra pessoa.
E o que motiva uma pessoa a agir assim, ou seja, de repente olhar para alguém e sentir o desejo de fazer o bem para ela, de AMAR a pessoa? O sentimento de GRATIDÃO, que é o sentimento de AMOR, pelo bem que a outra pessoa faz naturalmente para a pessoa, com a sua aparência física, com o seu jeito de ser, enfim, coisas que são naturais na pessoa, ou seja, a pessoa AMOU, ou seja, fez o bem, sem saber que estava fazendo o bem. Esse bem que a pessoa fez sem saber que estava fazendo tem origem em DEUS, porque foi DEUS que a criou.

AMAR e AMOR sempre estão em corações opostos, se complementando.

Quem AMA recebe AMOR e o AMOR recebido motiva o AMAR do que foi AMADO e mais o AMAR do que primeiro AMOU, que motiva mais o AMOR do que foi AMADO, que motiva mais o AMAR do que foi AMADO e do que primeiro AMOU, num ciclo infinito que só tende a crescer e durar, mas esse ciclo só se inicia com o AMAR. Nunca haverá AMOR se antes não houver o AMAR.

A palavra AMOR nos dá condição de nos expressarmos com relação a um sentimento de apego ou de gratidão que se sente em relação a um outro ser e até coisas.

A palavra AMAR nos dá condição de identificar a nossa ação de fazer o bem para outro ser e até coisas.

A palavra AMOR não requer ação, apenas nos permite revelar o que estamos sentindo.

A palavra AMAR requer ação, ou seja, não tem lógica usar o verbo AMAR sem exigir de nós mesmos uma ação.

Com a palavra AMOR se diz o que se está sentindo.

Com a palavra AMAR se diz o que se fez, está fazendo ou o que vai fazer.

O sentimento de AMOR é despertado em nós à partir do sentimento de GRATIDÃO que se tem em relação a alguém que nos AMOU, ou seja, em relação a alguém que teve uma atitude de nos fazer o bem, isto é, de nos AMAR.

O sentimento de AMOR também pode ser despertado em nós pelo sentimento de prazer que até uma coisa nos proporciona.
Por exemplo: Se alguém se sente bem com a companhia de um cachorro nasce um sentimento de AMOR pelo animal, pelo bem que o animal faz para ele.

O AMOR é consequência do AMAR, mas não do próprio AMAR e sim de outrem em relação a nós.

O sentimento de AMOR que se sente é em consequência de se ter recebido o bem, mas despertado pelo sentimento de GRATIDÃO que se tem.

Só sentimos AMOR pelo que nos faz bem, ou seja, só sentimos AMOR por quem nos AMA ou pelo que nos faz feliz, isto é, que nos faz bem.

Devemos AMAR indistintamente a todos e a tudo ao nosso redor, ou seja, devemos sempre fazer o bem a todos e a tudo ao nosso redor, mas o que vai nos despertar para AMAR é o sentimento de GRATIDÃO que existe em nós, o exercício da COMPAIXÃO ou do sentimento de MISERICÓRDIA que existe em nós.

E temos que ter em mente que não devemos esperar que despertaremos AMOR por nós em alguém por AMARMOS esse alguém, pois isto não depende de nós, porque o AMOR é o sentimento que brotará naquele que recebeu o bem pelo seu próprio sentimento de GRATIDÃO.

Analisemos estes dois textos bíblicos:

  • Está escrito: “Porque DEUS amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.
  • Também está escrito: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.”

Fora do que eu entendi a respeito de AMOR e AMAR as duas passagens bíblicas acima são contradizentes, porque na primeira diz que DEUS amou o mundo e na segunda diz que não podemos amar o mundo, ora, está escrito que devemos ser imitadores de DEUS, então como se explica isto?!

Dentro do entendimento que estou expondo, podemos dizer: “Porque DEUS fez um bem ao mundo de tal maneira, que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

E depois: “Não tenham sentimento de amor pelo mundo, nem pelo o que no mundo há. Se alguém tem sentimento de amor pelo mundo, o amor do Pai não está nele.” ou, melhor ainda, “Não tenham gratidão pelo que o mundo lhes proporciona. Se alguém sente gratidão pelo mundo, a justiça do Pai não está nele.”

O sentimento de AMOR é um sentimento resultante do sentimento de GRATIDÃO em relação a outrem que nos fez o bem, ora, o mundo não nos tem feito bem, portanto, ter sentimento de AMOR em relação ao mundo significa não ter concordância com a justiça de DEUS, porque DEUS vai destruir o mundo, justamente pelo mal que nos tem feito, e se DEUS se agradasse do mundo não o destruiria.

Embora o sentimento de AMOR tenha como origem o AMAR de outrem, AMAR não tem origem no AMOR, AMAR tem origem em DEUS, porque DEUS faz o bem. Foi DEUS Quem nos AMOU primeiro.

O AMAR nos promove a imitadores de DEUS, o sentimento de AMOR não, porque o AMOR é um sentimento da própria pessoa que recebe o bem e motivado pelo sentimento de GRATIDÃO que a própria pessoa, que recebeu o bem, tem, motivado pelo seu próprio senso de justiça.

O AMAR é origem de todo bem, o sentimento de AMOR é resultado do AMAR.

O AMOR não cabe dentro do AMAR, senão não é AMAR, é recompensa, e no AMAR não se busca recompensa, no AMAR se busca imitar a DEUS, porque somos a Sua Imagem.

O AMOR é o sentimento que se pode despertar em alguém por AMAR esse alguém, mas isto nem sempre é verdadeiro, porque nem todos sentem GRATIDÃO pelo bem que fazemos, por causa da escala de valores, do senso de justiça, de cada um. Nem sempre o bem que a gente faz é entendido como bem por aquele que recebe o bem.

O AMOR vai se esfriar no mundo, portanto, vai diminuir com tendência ao fim, pela falta de GRATIDÃO pelo bem que se recebe.

O AMAR vai durar para sempre.

Portanto, eu entendo que DEUS nos AMA, isto é, o verbo AMAR na terceira pessoa do singular e não o sentimento de AMOR, assim sendo DEUS não tem sentimento de AMOR por nós, porque nada temos feito para despertar em DEUS algum sentimento de AMOR por nós, ou seja, não temos retribuído com GRATIDÃO todo o bem que Ele nos faz.

DEUS nos AMA por AMOR de Seu Próprio Nome, isto é, para fazer justiça a tudo o que Ele diz de Si mesmo.

Tudo pertence a DEUS, inclusive a nossa própria vida, nada temos, então o que poderíamos devolver a DEUS que pudesse despertar em DEUS o AMOR por nós?

DEUS nos AMA pelo Seu sentimento de MISERICÓRDIA, porque uma vez que nos criou, conhece a nossa estrutura e considera que também somos carne e que vivemos num mundo carnal e que, por isto, tem sido capaz de nos contaminar, se não estivermos em sintonia com Ele e considerando o quanto Ele nos quer fazer o bem.

Foi preciso então DEUS tomar uma atitude extrema, para mostrar de uma vez por todas que a nossa parte invisível é real e é a mais importante, porque é a parte que nos conecta com Ele e é através dessa parte invisível que temos vida, porque é verdade que precisamos do nosso corpo carnal para vivermos, mas o nosso corpo carnal DEUS pode refazer quantas vezes Ele quiser refazer, porque quem criou foi Ele, mas a nossa parte invisível é única e é nossa e não pode ser refeita por DEUS, porque quem a construiu fomos nós. A nossa parte invisível é a nossa ALMA, mas a nossa ALMA só está ativa, só é vivente, quando o Espírito de DEUS está no nosso corpo, quando então temos vida.

Entendo então, que por isto Ele tomou uma atitude tão extrema, dando-nos o Seu Único Filho em nosso favor, para nos AMAR de tal forma que não restasse dúvida em nós do bem que Ele estava nos fazendo ou que Ele quer nos fazer e, desta forma, despertar em nosso ser o senso de justiça que recebemos Dele quando fomos criados e assim gerar em nós um pouco de GRATIDÃO que nos promova a sentir AMOR por Ele.

E se passamos a sentir AMOR por Ele, então buscamos fazer a vontade Dele e conseguiremos escapar da contaminação do mundo, e se passarmos a fazer a vontade Dele então O faremos feliz, despertando Nele a Graça, por nos ver fazendo a vontade Dele e aí então despertaremos Nele o sentimento de AMOR por nós, por ver que o Seu esforço não foi em vão, pois despertou em nós o sentimento de GRATIDÃO que nos levará para mais perto Dele, e este sentimento de GRATIDÃO é nosso, faz parte do nosso senso de justiça, e valoriza a nossa vida diante de Dele e ao valorizarmos a nossa vida diante Dele, glorificamos o Nome Dele e então DEUS alcança o Seu objetivo em nós, que é o de Glorificar o Nome Dele como DEUS Criador que É, porque Ele nos criou tão somente para honra e glória do Seu Nome.

Estude a Bíblia. A sua vida depende disto.