O segredo de Enoque e de Noé

Na Bíblia encontramos o registro de que apenas dois homens “andaram com DEUS”: Enoque e Noé.

Como resultado desse comportamento ambos tiverem um tratamento especial da parte de DEUS.

Enoque foi levado para o Céu e por isto, não conheceu a morte.

Noé foi salvo de morrer no Dilúvio e ainda pôde ter consigo a sua mulher, seus três filhos e as mulheres de seus filhos, e assim, com Noé DEUS preservou a vida do homem na terra e formou novamente o mundo, o mundo que hoje temos.

Mas o que significa “andar com DEUS”?

Ou, antes, o que significa “andar com alguém”? Por lógica se chega a conclusão que é “andar nos mesmos passos de alguém”. Sim, porque quando você diz que vai “andar com um alguém” é o mesmo que estar dizendo que estará caminhando ao lado desse alguém e que por consequência você terá também que estar nos mesmos passos desse alguém.

Muitos dizem que Enoque e Noé faziam o que agradava a DEUS. Está bem, mas o quê Enoque e Noé podiam fazer para agradar a DEUS? Porque eles não tinham a Lei de DEUS, como temos hoje, como referência, para saber o que agradava a DEUS.

A Lei de DEUS só foi dada no Monte Sinai mais de 1500 anos depois que Enoque foi levado para o Céu e cerca de 1000 anos depois do Dilúvio.

Sendo assim, como viviam Enoque e Noé para que DEUS atentasse para eles e deixasse registrado pelas mãos de Moisés, que eles “andavam com DEUS”?

Está escrito que “onde não há lei também não há transgressão”. Isto é verdade até na lei feita pelos homens.

E então? Não é interessante como a lei dos homens copia em diversos aspectos da Lei de DEUS contida na Bíblia? Mas no tempo de Enoque e de Noé os homens não tinham a Lei de DEUS para ter como base.

O curioso é que num mundo totalmente sem lei, onde todos viviam de acordo com as suas próprias leis. Num mundo onde DEUS ainda não havia dado a Sua Lei, dois homens “andavam com DEUS”.

Vamos raciocinar, lembrando que DEUS quer de nós um culto racional, porque para isto Ele nos capacitou.

Os mandamentos que Enoque e Noé certamente conheciam, porque Adão lhes ensinou, eram:
1) De toda árvore que há no jardim comerás livremente, mas da árvore da conhecimento do bem e do mal, dela não comerás, porque no dia que dela comeres, certamente morrerás;
2) Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.

Nos tempos de Enoque e de Noé, o primeiro mandamento não era mais possível ser cumprido, porque o Jardim do Éden, foi fechado aos olhos dos homens, em virtude do pecado de Adão e a consequente expulsão de Adão do Jardim, portanto não foi esta a justiça que Enoque e Noé praticaram.

O segundo mandamento, pode representar que eles fizeram a vontade de DEUS, porque no relato bíblico não informa que Enoque tenha tido mais de uma mulher e quanto a Noé, ele teve somente uma mulher, mas não foi esta a justiça que Enoque e Noé praticaram que denotasse a observação que “andavam com DEUS”, porque outros homens de valor são citados na Bíblia e que foram maridos de uma só mulher e não foram mencionados como homens que “andavam com DEUS”, até porque isto significaria apenas obediência a DEUS.

E além desses dois mandamentos o que mais havia, que pudesse ser considerado por DEUS de tão alta importância e que O motivasse a levar Enoque para o Céu e a considerar Noé apto a continuar com a humanidade?

Uma única coisa: O imitar a DEUS.

DEUS após criar todas as coisas fez para o homem mais uma coisa importante: Um dia de descanso, ou seja, o sétimo dia da semana.

DEUS valorizou tanto o sétimo da semana como dia de descanso para o homem, que Ele próprio, apesar de não se cansar, descansou no sétimo dia, justamente para dar o exemplo.

Mas DEUS, apesar de Ele mesmo ter descansado no Sábado, nunca deu o descanso do Sábado como mandamento para ninguém.

Apesar de o 4º mandamento da Lei de DEUS estar falando sobre o Sábado, ao lermos encontraremos: “Lembra-te do dia do Sábado para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu DEUS; …” e não “Descanse no dia de Sábado …” ou “Guarde o dia de Sábado para o descanso …”

DEUS escolheu a nação de Israel como Seu Povo particular, por causa da promessa feita a Abraão, e por isto disse à nação de Israel que eles deveriam observar o Sábado como dia descanso, e que isto serviria de sinal entre eles e DEUS. Sinal de quê? De que eles são povo de DEUS.

Portanto, o povo de Israel, não observa o Sábado, porque é mandamento, mas porque são povo de DEUS.

Enoque era penta neto de Adão e Noé era bisneto de Enoque. No tempo de Enoque e de Noé o povo de Israel ainda não existia.

Enoque nasceu quando Adão tinha 622 anos e Adão morreu aos 930 anos, portanto Enoque conviveu com Adão durante 308 anos, ou seja, tiveram tempo suficiente para falar a respeito da Criação, do Éden e do pecado.

Certamente Adão, quando falou da criação para Enoque, também falou para Enoque que DEUS descansou no sétimo dia da criação.

Enoque, acreditando nas palavras de seu tataravô Adão e querendo uma forma de se relacionar com o DEUS, que ele não via mais, acabou encontrando uma forma: Observar o Sábado, o sétimo dia da semana, como dia de descanso também. Ao que parece, naqueles dias, não era comum alguém agir assim.

Enoque quando passou a observar o sétimo dia como dia de descanso tinha que ficar em observação constante, dia após dia, para que quanto chegasse o sétimo dia ele pudesse mais uma vez imitar a DEUS e também descansar no sétimo dia e por isto ele “andava com DEUS”, ou seja, nos mesmos passos que DEUS no tempo, ou seja, dia após dia.

E quanto a outros preceitos de DEUS? Enoque praticava? Não sei, mas não havia outros preceitos de DEUS para que Enoque praticasse.

Então, pode ser que Enoque praticasse outras coisas que não agradavam a DEUS, coisas que hoje impediriam um homem de entrar no Reino dos Céus? Certamente que não, por quê? Porque “onde não há lei, não há transgressão”.

DEUS ainda não tinha dado a lei, portanto, Enoque não tinha informação do que mais agradaria a DEUS e quanto ao Sábado, Enoque não sabia que agradava a DEUS, mas entendo que Enoque observava porque queria se identificar com DEUS, ou seja, considerando o que o seu tataravô Adão tinha falado para ele.

Assim sendo, compreendo que Enoque foi levado para o céu simplesmente por observar o sétimo dia como dia de descanso e nada mais, porque imitava a DEUS num mundo totalmente corrompido com homens que somente tinham a sua imaginação para praticar o mal.

Num mundo totalmente perdido e sem direção, tinha um homem que não sabia exatamente o que fazer, mas uma coisa ele sabia: Tinha saído das mãos de um DEUS criador e Este DEUS criador descansou no sétimo dia, e através desse ato, ele se agarrava a única atitude que podia ter que o ligava à criação.

Noé nasceu e soube que seu bisavô Enoque tinha sido levado por DEUS para o céu, e soube também que seu bisavô Enoque tinha o hábito de observar o sétimo dia como dia de descanso, e assim deve ter também compreendido a razão e resolvido também fazer a mesma coisa para se separar das atitudes dos homens que viviam naquele tempo, e desta forma também passou a “andar com DEUS”, ou seja, todo dia ficava atento para observar a chegada do sétimo dia da semana para descansar e cada vez mais DEUS ia fazendo parte do seu dia-a-dia, fazendo parte da sua vida, então passou a “andar nos passos de DEUS”, a “andar com DEUS”.

E por causa desta atitude DEUS olhou para Noé com esperança e que a partir de Noé pudesse surgir um povo que pudesse habitar eternamente na terra.

Como sempre, DEUS estava certo, porque na genealogia de Sem, filho primogênito de Noé, nasceu Abraão e na genealogia de Abraão, nasceu o JESUS, o CRISTO, o escolhido de DEUS, para Reinar para sempre entre os homens.

A observação do sétimo dia da semana para descanso, uma atitude que Enoque e Noé tomaram num tempo onde não havia a Lei de DEUS, certamente é o Segredo de Enoque e Noé para que recebessem uma atenção especial da parte de DEUS.