Não sirvamos a DEUS por medo do inferno, porque isto não é justo.

DEUS nos criou por Sua própria vontade, nenhum de nós pediu para nascer, estamos vivendo e nenhum de nós vive porque quer.
O que isto significa? Significa que DEUS tem total controle sobre a nossa vida. E daí? E daí que não conseguiríamos fazer nada que DEUS não nos desse permissão. É óbvio que o que tem que ficar claro aqui, é que a permissão de DEUS para os nossos atos está relacionada com a liberdade que Ele nos deu, através do livre arbítrio, e não com a Sua concordância, portanto, ao nos permitir fazer o que queremos, DEUS está apenas, e tão somente, sendo fiel à Sua própria Palavra.
Aí vem um detalhe importante a ser considerado: Na morte não estamos conscientes, portanto, não estamos sofrendo, não estamos fazendo bem e nem estamos fazendo mal. Na verdade, nem sabemos que estamos mortos!
Comparando a morte com o dormir, para entendermos melhor, o que nós sabemos é que vamos dormir ou que estivemos dormindo, mas ninguém sabe que está dormindo.

E daí? E daí é que já que DEUS não concorda com os nossos atos e Ele tem poder para desligar a “chave” da nossa vida e nos fazer parar instantaneamente, como alguém que desliga uma lâmpada, então, porque será que Ele não faz isto e fica suportando nossas atitudes?

É ainda importante também considerar que, já que na morte não temos consciencia de nada e nem sentimos nada, para DEUS nos castigar, Ele teria que sustentar a nossa vida, ou seja, nos manter vivos, e para saber se o castigo foi suficiente Ele teria que contemplar o nosso sofrimento.
Aí vem outro detalhe importante a ser entendido: Ora, DEUS declara que nos ama, mais do que isto, DEUS declara que só faz o bem, portanto, contemplar o nosso sofrimento Lhe provocaria dor e não indiferença e muito menos prazer, e, francamente, sustentar a nossa vida eternamente só para nos fazer sofrer eternamente não seria exatamente o que se pode chamar de “fazer o bem”, seria?
Considere os que viveram antes do Dilúvio, DEUS os julgou e simplesmente os desfez com as águas, não houve, não há e nem haverá inferno para eles e nem haverá salvação para eles. Simplesmente morreram, tudo acabou para eles. Mortos eles não estão conscientes, não sofrem, não fazem bem, não fazem mal, mas até morrerem sofreram muito se afogando nas águas do Dilúvio e DEUS não se agradou de vê-los sofrendo e por isto prometeu a toda “Alma Vivente” que nunca mais voltaria a fazer a mesma coisa.
Aí eu te pergunto: Será que DEUS gosta de sofrer? Ou será que o que sentimos é indiferente para Ele? Ou será que Ele não é fiel à Sua Palavra?
Lógico, que se você conhece um pouco a respeito do DEUS que está revelado nas escrituras sagradas, você vai responder “não” para as três perguntas.
Está escrito que DEUS não faz acepção de pessoas, então, porque DEUS age de maneira diferente conosco, que nascemos depois do Dilúvio? Tem que haver, e certamente que há, uma explicação.
O fato é que a coerência nos diz que seria bem mais simples para DEUS tirar a vida de todos nós e nem pensar mais nisto. Depois, poderia criar outros seres como nós do zero e povoar a terra novamente, mas então porque DEUS não faz isto e nos ameaça com o inferno?!
Porque a única coisa que temos nesta vida é “tempo de vida”, portanto, quando nos rebelamos e escolhemos não obedecer a DEUS, DEUS considera que não temos consciência plena do mal que estamos fazendo para nós mesmos ao apostarmos a única coisa que temos e, que se perdermos, não temos como recuperar, então, por isto, Ele insiste conosco para nos ajudar a repensar nossas atitudes.
Parece simples, mas como gera tanto erro de entendimento, vamos esmiuçar este assunto neste artigo.

Nós somos o resultado da soma do pó da terra com o sopro de vida de DEUS.
O homem é o corpo formado do pó da terra.
O sopro de vida de DEUS nos fez “Alma Vivente”.
Na morte, não deixamos de existir, não deixamos de ser Alma, deixamos de ser “Alma Vivente”.
A Alma é o nosso ser, o verbo ser mesmo, que pode ser conjugado: Eu sou, tu és, ele é …, to be em inglês, para ser mais claro. Também podemos chamar a Alma de nossa Consciência ou nossa mente.
A nossa Alma é o que somos, com toda a riqueza de detalhes do nosso ser, tanto no nível espiritual, quanto no nível carnal, portanto, a Alma não é nem o corpo e nem é o espírito, mas o resultado da soma de ambos, que é uma parte invisível que só se faz presente pelas nossas obras.
O que somos não morre. Somos o que fazemos. Somos o resultado de nossas ações, as quais, absolutamente todas, estão registradas nos livros de DEUS, juntamente com todas as nossas características físicas. Um livro para cada um de nós.

Veja estes dois exemplos:

  • Hitler morreu, mas morreu o seu corpo, não as suas ações, essas continuarão sendo lembradas por toda a eternidade, portanto, a sua Alma continuará existindo por toda a eternidade, mas enquanto estiver morto ele não é uma “Alma Vivente”.
  • Einstein morreu, mas morreu o seu corpo, não as suas ações, essas continuarão sendo lembradas por toda a eternidade, portanto, a sua Alma continuará existindo por toda a eternidade, mas enquanto estiver morto ele não é uma “Alma Vivente”.
E assim é com cada um de nós.
Na ressurreição DEUS nos faz novamente “Alma Vivente” e DEUS nos devolve essa consciência, DEUS devolve para nós, para o nosso ser, para a nossa consciência, as nossas ações, como quando acordamos depois de uma noite de sono. Abriremos os olhos e tudo estará ao nosso redor, como estiver.
Enquanto estamos dormindo não temos consciência de nada, mas a vida ao nosso redor continua acontecendo e o tempo continua passando, da mesma forma, enquanto estivermos mortos a vida continuará acontecendo e o tempo continuará passando; e da mesma forma como quando acordamos rebuscamos em nossa mente o momento de antes de dormirmos, depois de sermos ressuscitados rebuscaremos o momento de antes de nossa morte.
Realmente, não fomos criados para morrer, mas para vivermos permanentemente, a nossa vida precisou ser interrompida, porque nós escolhemos isto, ou seja, escolhemos morrer, e porque escolhemos isto, DEUS precisou esconder de nós a Árvore da Vida, porque se Ele não tivesse escondido não conseguiríamos colocar em prática a nossa escolha, afinal se continuássemos comendo da Árvore da Vida não conseguiríamos morrer. Temos que considerar que o nosso DEUS é um DEUS fiel, se plantamos milho, colhemos milho.
Nascemos sem querer, vivemos sem querer e morremos sem querer, mas morremos porque escolhemos errado, porque escolhemos morrer, apesar de não ser isto que queríamos.
DEUS em Sua infinita misericórdia sabe disto e, por isto, criou uma forma para que tenhamos a oportunidade de viver, justamente porque DEUS sabe que não queremos morrer e, por isto, Ele também não quer que morramos, até porque se Ele quisesse que morrêssemos não teria nos criado, afinal fomos criados à Sua imagem e semelhança e sendo DEUS eterno, certamente quis antes de nos criar que também fôssemos eternos como Ele É, a maior prova disto é a Árvore da Vida, à qual o homem tinha livre acesso e nenhuma restrição DEUS impôs para comermos dela para, justamente, vivermos eternamente.
Mas o que é ter misericórdia? Ter misericórdia é ter a plena compreensão da condição da outra pessoa. É um atributo do DEUS Onisciente que nos criou, portanto, Ele É misericordioso, porque é Onisciente.
Nós também podemos vir a ser misericordiosos, mas somente alcançaremos isto através da prática da compaixão.
Entendam: Todas as Almas foram ou são “Almas Viventes”, na morte todas as Almas deixam de ser “Almas Viventes”, na ressurreição nos tornaremos novamente “Almas Viventes”, mas nem todas as Almas permanecerão “Viventes”.
Todos os que não permanecerem “Viventes” após a ressurreição, morrerão, ou seja, voltarão à condição de inconsciência e então se inicia a contagem de um período de 1000 anos.
Enquanto os 1000 anos estão correndo, diante dos salvos que estão no Céu, DEUS abrirá os livros de cada um de nós, tanto dos que foram salvos e estão no céu, como dos que estão mortos e estão no pó da terra, para julgar as nossas obras, abrirá também outro livro, que é o Livro da Vida, o Livro onde está registrado o nome dos que escolheram aceitar a Salvação que nos foi outorgada em JESUS CRISTO, nosso SENHOR, e DEUS procurará no Livro da Vida para ver se o nome que está no nosso livro está também no Livro da Vida. Será provado diante de todos os presentes que os nomes dos que não foram salvos e que, portanto, estão mortos na terra, não estão no Livro da Vida, ou seja, que eles não fizeram opção pela Salvação que nos foi proposta.
Depois, terminado os 1000 anos determinados por DEUS, DEUS envia do céu a Nova Jerusalém e com ela o SENHOR JESUS CRISTO e todos os Salvos.
E então DEUS libertará Satanás, que foi preso na 1ª ressurreição, e acontecerá a 2ª ressurreição. Todos os mortos que estão na terra acordam da morte, Satanás estará com eles, e todos saberão que o SENHOR JESUS CRISTO reina na Nova Jerusalém e que os Salvos estão com o SENHOR JESUS CRISTO, Satanás então os incitará à ira e eles se juntarão para atacar a Nova Jerusalém, mas é nesta hora, que DEUS enviará fogo dos céus e queimará todos eles, inclusive Satanás, e neste mesmo fogo DEUS destruirá também os livros de cada um e o próprio inferno, porque não terá mais utilidade, e então se cumprirá a Palavra de DEUS e se tornarão cinza debaixo da planta dos pés dos Salvos.
A partir daí todas as Almas que morreram queimadas pelo fogo de DEUS que desceu do céu, juntamente com os seus livros, nunca mais voltarão a ser “Almas Viventes”.
Esquece isto de servir a DEUS por medo de padecer no Inferno depois que morrer!
O inferno é aqui, nesta vida, antes de morrermos, para termos a oportunidade de sofrermos as consequências das nossas más obras.
DEUS criou o Inferno nesta vida, neste mundo, como forma de mostrar para o homem as consequências de seus pecados e sendo assim, DEUS criou o Inferno para buscar salvar e não para castigar, porque quem vive num inferno, vive por escolha, mas tem a liberdade dada por DEUS de deixar o inferno quando quiser, é só querer, basta dar ouvidos à voz Daquele que nos criou e nos amou desde antes de sermos criados.
Nós não pedimos para nascer, nem para viver, como o DEUS que só faz o bem e que nos ama nos colocaria para sofrer eternamente por algo que nós nunca pedimos? É completamente sem sentido algum!
Entenda: DEUS É o Todo-poderoso, ninguém tem poder para impedir qualquer coisa que Ele queira fazer, mas isto de se vingar de um ser pequenino como nós e nos colocar para sofrer por toda a eternidade por qualquer motivo, não faz sentido, não é próprio de quem Ama e nem é coerente com tudo o que Ele fez e faz para evitar o nosso sofrimento.
Fomos criados à imagem e semelhança de DEUS, e aí te pergunto: Você colocaria o seu filho para ser açoitado dia e noite sem parar, por mais que você o tenha amado e ele sido ingrato com você?! Não acredito que faria isto.
Eu creio que o que qualquer pai que ama seu filho iria querer é que seu filho parasse de fazer besteiras e para isto eu creio que ele o colocaria numa prisão de onde não pudesse mais sair e que nessa prisão ele parasse de sofrer e fazer sofrer, ou seja, para a proteção dele mesmo e de outras pessoas quem sofrem por causa das atitudes do filho, afinal quando erramos o primeiro que sofre somos nós mesmos e depois as pessoas que estão aos nosso redor, não é?!
A morte em si mesma é uma forma de prisão, porque na morte não podemos fazer nada, não temos consciência de nada, de forma semelhante como quando estamos dormindo, a diferença é que quando estamos dormindo realmente, estamos vivos, ainda que sem consciência, e na morte, não temos vida, não sentimos nada.
Nós decidimos ir dormir, mas quando estamos dormindo não sabemos que estamos dormindo, de forma semelhante, sabemos que vamos morrer, mas quando estamos mortos também não sabemos que estamos mortos. Quem acorda é que sabe que esteve dormindo, da mesma forma, só quem é ressuscitado é que sabe que esteve morto.
Quem dorme acorda, até mesmo consegue se acordar, basta colocar o despertador para tocar ou pedir alguém para nos chamar, mas quem morre não. Quem morre pode ser ressuscitado, mas ninguém consegue se ressuscitar, quem nos ressuscitará é DEUS.
Portanto, se amamos a nossa vida, devemos fazer o que agrada a DEUS para recebermos mais vida, mas não por temer o sofrimento no inferno após a morte, afinal até mesmo o inferno será jogado no lago de fogo e até por isto não existe coerência nesse entendimento, e sim por valorizar esse tudo que DEUS tem feito para nos proporcionar Vida em abundância e felicidade plena.
DEUS primeiramente limitou o nosso tempo de vida em 120 anos, para nos dar a oportunidade para fazer besteira ou para fazer a coisa certa, não é?
Isto já foi uma amostra de sua tolerância, mas ao mesmo tempo que havia um limite.
Depois disto DEUS nos deu a Lei para novamente não ficarmos perdidos neste mundo sem saber o que fazer, mostrando mais uma vez a sua tolerância, mas também mostrando que havia um limite.
Entenda: O que motiva DEUS a nos salvar é o fato de saber que queremos viver, mas não temos poder para sustentar a nossa vida, por isto Ele nos faz uma proposta de Salvação, os que aceitam recebem a oportunidade de viver, os que não aceitam fazem a sua escolha pela morte novamente, como a escolha que Adão fez no Éden, a diferença é que não haverá mais chamado e nem mais chance nenhuma.
O que precisamos entender é que DEUS respeita a nossa escolha, afinal Ele nos deu livre arbítrio, e se alguém prefere a morte do que a vida, o que se há de fazer?
Sirvamos, pois, a DEUS pelo que Ele É, um DEUS Santo, Justo e Bom.
Analise as chances que recebemos e raciocine sobre tudo.

No Éden DEUS deu uma chance ao homem deixando-o livre para fazer as suas escolhas no mundo e desta forma DEUS mostrou a Sua soberania e a Sua Misericórdia.

No Dilúvio DEUS deu mais uma chance ao homem, não a todos que viviam naqueles dias, mas a oito pessoas, por causa da atitude de um único homem. Desta forma DEUS nos mostrou o Seu Poder e sua Força, mas também a Sua Misericórdia.
Mas, e porquê que o DEUS que não faz acepção de pessoas não vai salvar os demais que viveram antes do Dilúvio? Porque DEUS não fez nenhuma proposta de Salvação para eles. Sobre todos eles recaiu a consequência da escolha feita por Adão.

Depois do Dilúvio, depois que Noé morreu, DEUS mostrou mais uma vez a Sua Misericórdia para com o homem, chamando Abrão e fazendo uma proposta de uma vida totalmente nova, baseada totalmente na confiança em Suas palavras, uma proposta na qual Abrão teria que abandonar o seu próprio eu, uma proposta de fé numa promessa onde DEUS mostraria definitivamente a sua Soberania e Poder para mudar a história de todos nós. Abrão confiou nas Palavras de DEUS e aceitou a promessa já como cumprida por DEUS e partiu em rumo ao desconhecido, se submetendo totalmente à Soberania de DEUS.

DEUS, cumprindo a promessa feita a Abrão, deu, no Monte Sinai, a Sua Lei, a direção definitiva para todos nós e assim DEUS deu mais uma chance a todos nós de nos mantermos conectados à Ele, ao obedecermos à Sua Lei, e para que nós também possamos nos submeter totalmente à Soberania de DEUS, como fez Abrão. E é justamente na Sua Lei que podemos perceber a Santidade, a Justiça e a Bondade de DEUS.
A Lei que nos foi dada no Monte Sinai foi para nos preparar para recebermos a nossa última chance: O SENHOR JESUS CRISTO.

Em JESUS CRISTO, DEUS nos deu a última chance, é em JESUS que DEUS demonstrou toda a Sua Soberania, todo o Seu Poder e toda a Sua Misericórdia para conosco, vamos nos agarrar a esta chance, porque não teremos outra!

Por favor, não creia em fábulas, firme-se na Palavra de DEUS. Leia e estude a Bíblia.

#DEUS #JESUS #salvacao #alma #almavivente #inferno #vidaeterna #ressurreicao