Servir a DEUS não tem nada a haver com religião

As religiões existem com o propósito de ensinar um caminho de “religação” com DEUS, portanto em princípio todas as religiões são boas.

Mas, a quantidade de religiões existentes no mundo nos alertam que as doutrinas que as religiões ensinam não são totalmente bíblicas e que há preceitos de homens misturados aos preceitos bíblicos, porque se as doutrinas que ensinam fossem totalmente bíblicas, uma vez que há uma só Bíblia, haveria uma só religião.

Antes de prosseguir vamos fazer uma analogia importante para entender melhor o papel da religião na nossa vida, considerando o colégio como se fosse a religião.

Quando começamos estudar, lá pelos 6 ou 7 anos de idade, o colégio onde fomos matriculado era perfeito para nós, porque não sabíamos nada e precisávamos começar, mas fomos aprendendo e um dia descobrimos que não havia mais nada para aprender ali, tivemos então que mudar para um colégio que passou a nos ensinar novas coisas, coisas maiores do que aquelas que inicialmente aprendemos e agora, mais crescidos, física e intelectualmente, percebemos que o primeiro colégio foi bom, sentimos saudade da turma, mas não nos serviria mais, por causa do grau de entendimento que alcançamos, percebemos que existem muitas perguntas sem respostas e há uma forte vontade de saber as respostas para as nossas perguntas e precisamos novamente mudar de colégio.
Agora no novo colégio, as coisas novas que estão nos ensinando inicialmente até nos aborrecem, mas entendemos que não dá para continuarmos sem crescer no nosso aprendizado e então nos esforçamos para entender e quando entendemos, começamos a perceber que novamente precisamos continuar crescendo, então entendemos que novamente precisamos de mudar de colégio e assim vai continuar até concluirmos a faculdade, pós-graduação, mestrado, doutorado e finalmente estar apto para exercer a profissão que escolhemos e é nesse momento que percebemos que atingimos um nível de conhecimento em que os colégios e as faculdades já não tem mais nada a nos acrescentar na nossa área de interesse, que precisamos ir além, partimos então para desenvolvermos a nossa própria tese a respeito da nossa área de interesse.

Assim são as religiões nas nossas vidas. Elas cumprem o papel de nos iniciar no conhecimento de DEUS, mas o que realmente queremos ou precisamos alcançar está além das religiões.

As religiões nos ensinam o caminho para DEUS e todas tem a mesma Bíblia nas mãos, mas não foi DEUS Quem criou as religiões. As religiões foram criadas pelos homens com o propósito de unir os que pensam ou que entendem da mesma forma e assim, as religiões normalmente unem os que tem o mesmo nível de crescimento espiritual.

DEUS nos deixou as escrituras sagradas e ela está ao alcance de todos e é através delas que o próprio DEUS nos mostra o caminho de religação com Ele, portanto a despeito do que ensina a religião da qual uma pessoa faça parte ela deve estudar a Bíblia, porque é o conteúdo bíblico que vai mostrar o caminho para alcançar a salvação e para que ela venha ter vida eterna, e não a religião.

Portanto todas as religiões são boas, mas nenhuma delas nos ensina o verdadeiro caminho que nos leva aos céus. O verdadeiro caminho somente encontramos nas escrituras sagradas, a Bíblia.

Cada um de nós é responsável por si mesmo diante de DEUS no que diz respeito à Salvação, porque a Salvação é individual, ou seja, o SENHOR JESUS CRISTO não virá buscar uma religião para levar para o céu, mas sim as pessoas que fazem parte da igreja Dele, ou seja, da Igreja do SENHOR JESUS CRISTO.

Já que todas as religiões são boas e cada um é responsável por si diante de DEUS, não existe motivo para haver brigas ou guerras por motivos religiosos.

O que há sim é a necessidade de que as pessoas se disponham a debater as coisas que entendem a respeito da Bíblia em busca da unificação da fé, onde, eu entendo, que é o caminho que leva à perfeição ordenada pelo SENHOR JESUS CRISTO e requerida pelo nosso DEUS.

Por não haver debates saudáveis entre as pessoas é que pessoas passam a vida inteira numa religião e sem nenhum crescimento no conhecimento de DEUS, ou seja, sem crescimento espiritual.

A mensagem de DEUS é simples. A Bíblia é fácil de entender, desde que a leiamos como um manual da vida, ou seja, buscando aprender e colocando em prática os seus ensinos, mas sem senso crítico antes de completar a leitura. Ter senso crítico em relação à Bíblia sem concluir a leitura, para tê-la toda em mente, é como querer desenvolver uma tese sem passar pela fase do colegiado, ou seja, certamente vai faltar base de conhecimento para a crítica.

Sempre que criticamos qualquer coisa ou assunto, sempre o fazemos com base em nosso conhecimento e o conhecimento de cada um de nós sempre é parcial e inerente à nossa própria cultura, portanto é pouco abrangente e nos impõe uma limitação para entendermos um ser, neste caso DEUS, cujo o conhecimento abrange tudo o que existe nos céus e na terra.

As doutrinas ensinadas na Bíblia é que são os verdadeiros preceitos de DEUS.

A base do caminho de religação com DEUS é a obediência, por isto está escrito que o princípio da sabedora é o temor de DEUS. Mas DEUS não quer de nós uma obediência cega, mas sim uma obediência racional.

A obediência cega não nos transforma, apenas nos torna como robôs que agem de uma tal forma e não entendem porque agem assim.

Obediência racional nos promove aos seres que somos, ou seja, seres racionais.

A obediência racional também não significa uma obediência cheia de questionamentos e justificativas, porque passamos a questionar a sabedoria infinita de DEUS com a nosso saber finito e limitado ao nosso conhecimento e às nossas experiências de vida.

A obediência racional é a obediência que é resultado do estudo, da meditação dia e noite dos preceitos de DEUS relatados nas escrituras sagradas, e da prática dos ensinos.

O resultado final da obediência racional é a consciência plena de que DEUS sabe todas as coisas e que quer o melhor para nós, e assim nos rendermos à Sua vontade e passarmos a imitar a DEUS para virmos a ser Sua imagem, conforme éramos quando fomos criados. (Genesis 1:26-27).

Mas como conciliar obediência racional, com obediência sem questionamentos e justificativas? Sim, porque é o meu raciocínio que me leva a questionar e a justificar, não é? A resposta é: Prática e observação.

Vamos fazer outra analogia, considerando em nossa analogia, que DEUS é nosso professor.
Quando chegamos à escola nos deparamos com o professor, não sabemos nada, mas precisamos exercitar o nosso raciocínio para aprender certo?
Então, o nosso raciocínio inicial deve ser:

  1. O professor está ali para ensinar, logo, ele deve sabe mais do que nós, mas ainda não temos essa certeza;
  2. Ele nos diz que 2 + 2 = 4, nós ouvimos, anotamos, mas também não sabemos se isto é verdade;
  3. Colocamos em prática o que o professor nos ensinou e na prática vemos que ele tem razão. A partir desse momento usaremos o ensino do professor de forma racional, porque testamos e vimos que o professor realmente sabe mais do que nós e que é verdade o que nos ensinou.

Assim são os ensinos que DEUS nos dá através da Bíblia, que quando praticamos nos leva a adorá-Lo de forma racional.

DEUS faz o bem, portanto para imitarmos a DEUS devemos também fazer o bem, ou seja, amar.
Amar segundo DEUS é fazer o bem indistintamente.

Fazer o bem é acumular tesouros no céu, mas ninguém conseguirá fazer o bem segundo DEUS se antes não passar pelo “centro de treinamento” de DEUS.

No “centro de treinamento” de DEUS aprenderemos a observar todos os mandamentos, estatutos e juízos de DEUS, pois é o principal requisito para que as suas boas obras sejam reconhecidas por DEUS e sejam então guardadas no seu tesouro do céu, porque quando vivemos observando os mandamentos de DEUS significa que as nossas obras são obras feitas em DEUS.

A obediência aos mandamentos de DEUS como se fosse um robô não é válida, mas é a única forma de uma pessoa começar a obedecer.

Devemos começar a obedecer mesmo sem entender completamente, mas procurando meditarmos sobre o mandamento e por fim acabaremos obedecendo de coração.

A observação dos mandamentos de DEUS vai nos moldando o caráter e nos tornando capazes de compreender coisas maiores.

DEUS quer de nós um culto racional.

Com o passar do tempo certamente reconheceremos que os mandamentos de DEUS são verdade, que são justiça e que é a perfeita lei da liberdade.

Antes da vinda do SENHOR JESUS CRISTO a obediência absoluta aos mandamentos, estatutos e juízos de DEUS era o bastante para se ter vida eterna, ou seja, o homem que vivesse segundos os preceitos de DEUS durante toda a sua vida ou o homem que por sua livre e espontânea vontade se arrependesse e assumisse todos os seus erros e passasse a viver de acordo com os preceitos de DEUS pelo resto de sua vida receberia a vida eterna.

Acontece que por termos escolhido, na pessoa de Adão, não obedecer a Lei de DEUS começamos a morrer para Ele, ou seja, perdemos o direito à vida eterna e os nossos dias começaram a ser contados para a morte.

Os que nasceram depois do pecado também herdaram as consequências do pecado e à partir do nascimento também tem os seus dias contados para a morte.

O corpo morre, mas o Espírito que há no homem não morre, pois o espírito que há no homem é de DEUS e volta para DEUS, e por isto as obras que o homem fez por meio do corpo ainda não podem ser apagadas e simplesmente esquecidas, pois permanecessem registradas no coração de DEUS e nos livros de DEUS.

Só há vida em DEUS. Erram e erram muito os ímpios que pensam que vão viver no inferno. Não há um lugar chamado inferno onde se possa viver para sempre, mesmo que seja sofrendo.

Com certeza o conceito de vida no inferno não é bíblico, porque inclusive o próprio inferno será lançado no lago de fogo e se o inferno será consumido no lago de fogo, como pois se poderia viver no que vai deixar de existir no juízo final?

O inferno é uma condição de vida na terra que DEUS criou (Deuteronômio 32:22) para permitir que um ser humano possa alcançar um extremo de sofrimento enquanto está vivo, para que, no sofrimento, possa vir a se arrepender e ser resgatado.

Quem desobedece a Lei de DEUS escolhe estar longe de DEUS. Longe de DEUS morremos a cada dia até morrer completamente, porque DEUS é a fonte da vida, nossa vida e de todos os seres viventes, nos céus e na terra.
É como a planta que sem água morre um pouco a cada dia até chegar o seu fim. É como a bala de um revolver quando se atira para o alto, ela sobe, sobe, até começar a cair e finalmente voltar ao chão.

Depois do dilúvio DEUS estabeleceu que viveríamos até 120 anos, portanto, quando nascemos recebemos um impulso de vida de DEUS que nos faz crescer, crescer, até começar a decrescer, decrescer, e voltar ao chão, de onde fomos tomados.

O SENHOR JESUS CRISTO não nos isenta do cumprimento da Lei de DEUS, pelo contrário, Ele nos exige com muito mais veemência. Leia o Sermão da Montanha que está em Mateus nos capítulos 5, 6 e 7.

DEUS tem um dia que Ele marcou em Seu coração para julgar as obras dos homens, ou seja, as obras que os homens fizeram por meio do corpo que Ele deu ao homem. Aqueles que DEUS os considerar culpados receberão então a condenação final: Morte eterna. (Esta é a segunda morte).
Mas antes que chegue aquele dia em que DEUS julgará as obras dos homens, DEUS tem providenciado muitas formas de nos chamar ao arrependimento e à mudança de conduta, porque mesmo depois de termos feito tudo errado DEUS ainda não quer a nossa morte, ainda quer nos dar vida, e isto só depende de nós, porque da parte Dele, tudo Ele já fez.

DEUS sabe o potencial do ser que Ele criou e sabe que se quisermos de verdade nós conseguimos e por isto Ele busca nos mostrar a verdade e nos dá oportunidade para enxergar a verdade.

DEUS não nos criou para morrermos. DEUS nos criou para que vivêssemos para sempre, porque DEUS É eterno e tudo o que Ele faz é para durar para sempre. DEUS nos criou para Sua Glória, ora somente glorificamos a DEUS enquanto temos vida, mas a condição para vivermos eternamente é estarmos ligados Nele, porém para estarmos ligados com Ele a obediência é indispensável, pois é necessário que as nossas obras reflitam a DEUS, pois fomos criados à Sua imagem. Uma imagem existe como consequência do reflexo. Olhe-se no espelho e busque entender.

Tudo o que DEUS cria glorifica o Seu nome como um DEUS criador, exceto as ações de alguns dos seres a quem Ele deu liberdade de ação. O nosso ser glorifica a DEUS como um DEUS criador, mas as vezes os nossos atos não, e é por isto que Ele nos deu mandamentos, ou seja, diretrizes de ações para que nós saibamos o que não glorifica o Seu nome.

Raciocine, pense, compare, analise: Quão difícil é conviver com o seu pai terrestre no dia em que você o desobedece. O relacionamento de vocês jamais será o mesmo, a menos que haja uma reconciliação entre vocês. Uma de duas coisas terá que acontecer: Ou você reconhece o seu erro e pede perdão ou aceita receber o castigo que o seu pai julga que você deve receber. Caso contrário a sua desobediência jamais poderá ser esquecida.
DEUS, nosso pai, é riquíssimo em misericórdia e não quis nos deixar morrer sem antes nos dar uma última oportunidade e por isto nos enviou Seu Filho, JESUS CRISTO.

O SENHOR JESUS CRISTO é, portanto, a nossa última e única esperança de vida eterna.

Você quer viver eternamente? Arrependa-se e aceite o SENHOR JESUS CRISTO como seu Redentor e Salvador.

O arrependimento somente virá quando você conhecer a verdade e para conhecer a verdade é preciso conhecer o conteúdo da Bíblia e para isto precisa começar a estudá-la.

Não deixe para depois, pois tudo o que você tem é o agora, depois pode ser tarde demais.

Tags:

4 thoughts on “Servir a DEUS não tem nada a haver com religião

  1. João Carlos Rosseto / 20/03/2016 at 04:16

    Ei Karina, em primeiro lugar, obrigado pelo seu comentário.

    Sim, A Igreja é o Corpo de Cristo, mas a religião não é a Igreja e nem o Corpo de Cristo.

    A Religião representa uma fé e que leva as pessoas que dela participam a terem um mesmo comportamento em relação aquilo que elas consideram sagrado, mas são as pessoas da religião que consideram sagradas, não significando, porém que sejam realmente sagradas.

    Diante de DEUS é sagrado o que Ele diz que é sagrado e não o que nós interpretamos que é sagrado.

    Está escrito:
    “A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.”

    Fazer parte do Corpo de Cristo não significa fazer parte de uma Religião.

    Mas o propósito do texto não é dizer que não devemos nos congregar, pois isto é necessário para que possamos fortalecer a fé uns dos outros.

    Até porque está também escrito:
    “Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.
    E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras,
    Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”

    E entendendo bem ainda: Congregação não é Religião.

    • Karina Rosseto / 20/03/2016 at 13:56

      Você pode pensar que não, mas, não esclareceu isso no primeiro texto, e para muitas pessoas religião = igreja/congregação!
      Sempre que eu digo algo penso em pessoas novas na fé que nenhum entendimento bíblico possuem e penso deixar tudo bem explicado para que não haja confusão ou isolamento por parte do irmão.

      No dicionário da língua portuguesa uma das definições de religião é: “Crença ou doutrina religiosa; sistema dogmático e moral. ”
      Portanto acaba sendo normal as pessoas pensarem assim.

      E é nesse contexto de entendimento que fiz o comentário, conforme expliquei, no mais eu concordo.
      As “regras” as “leis” a serem seguidas devem ser as que nos orientam a Palavra de Deus.

      Fique registrado que é muito importante congregar e viver em união com os irmão.
      Lembrando sempre de observar se a igreja está seguindo e aplicando os ensinamentos da palavra de Deus.

      • João Carlos Rosseto / 20/03/2016 at 15:54

        Não consigo ver que na definição que você escreveu de Religião alguma coisa que tem haver com a Igreja que é relatada na Bíblia.

        A Igreja de Cristo que está na Bíblia é a Igreja que é submissa aos ensinos do SENHOR JESUS CRISTO e não a entendimento de homens.

        Quanto aos novos na fé, quero esclarecer, mais uma vez, que eu escrevo com o propósito de expor o meu entendimento e o meu único propósito é ser um alerta no mundo e, por consequência, ter a oportunidade de ser alertado.

        Meus textos não tem público alvo, são para quem nunca leu a Bíblia e para quem já leu trocentas vezes.
        Observe que apesar de eu informar que o meu entendimento foi alcançado com o estudo e a meditação do conteúdo da Bíblia eu quase não menciono textos bíblicos.

  2. Karina Rosseto / 13/03/2016 at 05:38

    Acredito que tenha a ver com religião sim!
    No sentido de estar ligado a uma igreja, ao corpo de Cristo.
    Corpo de Cristo = igreja
    E nem todas as religiões ensinam o correto, na verdade, muitas induzem o membro a errar.
    Claro que não vão errar se lerem a Bíblia.
    Mas muitas religiões nos ajudam a entender e a praticar a palavra de Deus.
    Esse meu comentário deve-se apenas ao fato de que muitas pessoas entendem que ir a igreja é ser religioso. E logo, com base nesse texto, não precisamos ir a igreja. Pois não precisamos ter religião.

    Mas, se não formos parte de um corpo, como poderemos fazer o que Deus nos orientou e receber a complementação para nossas vidas e para a vida dos iniciantes na fé? Já que cada um tem o seu papel conforme é dito nas escrituras.
    Se a própria palavra diz que Quem se isola peca! Não posso eu afastar-me de ter religião pois estarei me isolando.
    E muitas são as religiões. Petencostal, protestante, espírita, umbanda… E nem todas estão de acordo com a Bíblia, mas só saberemos qual está de acordo com a Bíblia se lermos a Bíblia e observar a conduta da igreja ou seja a religião.

    Segue um texto para meditação.

    1 Coríntios 12
    11 Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.
    12 Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.
    13 Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.
    14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.
    15 Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; não será por isso do corpo?
    16 E se a orelha disser: Porque não sou olho não sou do corpo; não será por isso do corpo?
    17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato?
    18 Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis.
    19 E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo?
    20 Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo.
    21 E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós.
    22 Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários;
    23 E os que reputamos serem menos honrosos no corpo, a esses honramos muito mais; e aos que em nós são menos decorosos damos muito mais honra.
    24 Porque os que em nós são mais nobres não têm necessidade disso, mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela;
    25 Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros.
    26 De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele.
    27 Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.

Comments are closed.